[ editar artigo]

O poder da mudança no morar e como o home hunting pode ajudar

O poder da mudança no morar e como o home hunting pode ajudar

Não é novidade que vivemos em constante mudança, mesmo que involuntariamente.

Mudar é transformar, modificar, substituir, renovar, seguir outra orientação, sair da inércia, movimentar-se.

Podemos mudar de opinião, de cidade, de estilo, de profissão, mas o tema que abordaremos aqui será relacionado ao ‘’Morar’’.

Na maioria das vezes as mudanças ocorrem por fatores externos sobre os quais não temos controle. Existe um ditado que diz: temos duas formas de mudar: PELO AMOR, OU PELA DOR. A primeira forma de mudança ocorre quando somos proativos e buscamos evolução, esta requer maiores esforços, já que não há senso de urgência e pode ser postergado. Já a segunda é uma questão de necessidade, sobrevivência, ela tem mais poder, já que é necessário adaptar-se a nova realidade e permitir novas possibilidades onde aquela dor já não exista mais.

No ‘’morar’’, a maioria das transformações acontece após mudanças na estrutura familiar (casamentos, nascimentos, divórcios), mas também podem ocorrer através de influências externas, como o momento em que estamos vivendo ou novas necessidades de adaptação, seja por insatisfação, ou mesmo por mudança de prioridades.

Os impactos emocionais podem ser determinantes. Saúde e bem-estar são diretamente influenciados pelo local em que se mora. A expectativa de mudar altera a energia de uma família, renova, traz esperança.

Pesquisadores da Universidade de New Hampshire buscaram essa resposta.

Cada um dos entrevistados precisava relatar qual foi sua mudança de residência mais importante, 26% das experiências aconteceram entre um ano antes e um ano depois da mudança. O planejamento, a adaptação às novas perspectivas rejuvenesce, motiva, instiga. Para os psicólogos, ela serve como “fertilizante ideal” de novas memórias porque acaba gerando um efeito-dominó de experiências. Uma nova vista da janela, dormir em um lugar novo, encontrar novos restaurantes, conhecer novos vizinhos, tudo isso altera o ‘’status quo’’.

Dentro de casa existem formas simples de promover novos ares, desde a cor da parede, reorganização da posição dos móveis alterando a perspectiva, pequenas reformas ou uma renovada na decoração.

Quando isso não é possível, a solução é buscar um novo espaço, onde se encaixem as novas necessidades, sonhos e prioridades.

Como mudar nem sempre é fácil, percebi a necessidade de auxiliar as pessoas neste processo, tornando-o mais leve, coordenando todas as etapas e concentrando as informações de forma organizada.

O HOME HUNTING começa com uma análise que prioriza o lado emocional, já que mudar requer desapego dos antigos conceitos. É comum que quem busca um novo lar não tenha muita certeza do que precisa, o que vai se esclarecendo ao longo do caminho.

Ao desenvolver a metodologia, dividi o HOME HUNTING em 5 etapas, nas quais abordo além da primeira análise, uma imersão na atual moradia (do que funciona e do que não), além de planilhas, coordenação de visitas com as imobiliárias, relatórios de cada imóvel, trazendo IMPARCIALIDADE para que o cliente tenha segurança na hora de tomar uma decisão e possa avaliar se o ideal é reformar a casa, construir ou deixá-la para trás. Em qualquer uma das alternativas, a orientação segue de forma técnica, analisando sempre o viés da Arquitetura, os custos envolvidos com reforma e até mesmo o auxílio na escolha de profissionais que possam executar os projetos e reformas.

Robin Sharma resumiu o caminho da mudança em seu livro  “O milagre da manhã’’:

“Toda mudança é difícil no começo, confusa no meio e linda no final’’

 

E você? Concorda?

Movimento TOPVIEW
Paula De Campos Borges
Paula De Campos Borges Seguir

Arquiteta, idealizadora do SOBRE.MORAR e criadora do método de Home Hunting, tenho como missão ajudar o maior número de pessoas a MORAR BEM.

Ler conteúdo completo
Indicados para você