[ editar artigo]

As cidades com o metro quadrado mais caro do Brasil

As cidades com o metro quadrado mais caro do Brasil

Duas dessas cidades estão no sul do país e ao lado do mar, Balneário Camboriú e Florianópolis, segundo uma pesquisa da Fipezap, que mostrou que o metro quadrado nestas cidades de Santa Catarina estão entre os mais caros do país, atrás apenas do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

O índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados é bem completo e desenvolvido em parceria pela Fipe e pelo Grupo ZAP, acompanhando o preço médio de apartamentos prontos em 50 cidades brasileiras com base em anúncios da Internet. A metodologia está disponível em http://www.fipe.org.br

O índice registrou alta de +0,53% em setembro, após avançar 0,37% em agosto, a maior alta mensal desde setembro de 2014, superando o IPCA/IBGE para o mês de setembro (+0,43%).

Leia também "Investir em imóveis tem destaque frente a diversidade de investimentos"

"À exceção de Porto Alegre, onde o preço médio permaneceu praticamente estável (-0,05%), todas as capitais brasileiras monitoradas pelo Índice FipeZap apresentaram elevação no período, destacando-se: Brasília (+1,97%), Curitiba (+1,39%), Recife (+1,20%), João Pessoa (+0,78%), Belo Horizonte (+0,70%), Salvador (+0,70%). Em São Paulo, município com maior peso na composição do Índice FipeZap, a variação nominal registrada em setembro foi de +0,37%" - segundo dados da pesquisa.

O preço médio calculado foi de R$ 7.394/m² entre as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap. O mais alto é da cidade do Rio de Janeiro R$ 9.347/m², seguido por São Paulo R$ 9.242/m², Brasília R$ 7.889/m², Balneário Camboriú R$ 7.491/m² e Florianópolis R$ 7.285/m². Curitiba, a maior cidade do sul do Brasil, apresenta o preço médio calculado de R$ 6.324/m², destacando-se os bairros com maior e menor índices abaixo:

Diante dos movimentos que estão acontecendo quanto ao viver bem, o índice deve continuar em evolução, já que muitas pessoas começaram a buscar novas formas de viver, destacando ainda mais valor às suas casas.

Leia também "As pequenas cidades onde se concentram as pessoas mais ricas no Brasil"

Moradias adaptadas à nova realidade de comportamento do consumidor

Estes movimentos estão levando pessoas a cidades menores, em busca de mais qualidade de vida e contato com a natureza, e também a valorizar bairros mais distantes do centro financeiro das cidades, já que o trabalho remoto já é realidade-futura, pós-pandemia.

Para o mercado imobiliário, o número de lançamentos nem começou a acontecer, ao contrário, o número de lançamentos de imóveis caiu 60% no 2º trimestre segundo aponta a Câmara Brasileira da Indústria e Construção, comparada ao mesmo período de 2019.

Na região Sul o recuo de lançamentos foi de 36,5%, com aumento nas vendas de produtos já lançados de 5%.

Com a demanda alta por empreendimentos, os números da indústria da construção civil tendem a aumentar consideravelmente, entregando moradias adaptadas à nova realidade de comportamento do consumidor.

Para continuar acompanhando, reveja as séries gravadas no meu Youtube sobre os conceitos do Pós-Luxo e também do Novo Morar, com as construtoras Mendes Empreendimentos de Balneário Camboriú e A.Yoshii Engenharia de Curitiba, respectivamente:

 

Imagem destaque do artigo reprodução

Movimento TOPVIEW
Adriano Tadeu Barbosa
Adriano Tadeu Barbosa Seguir

Sou um comunicador que busca movimentos do Mercado de Luxo para diferenciar pessoas no Marketing Pessoal, desde 2006, com aprovações nacionais e internacionais e conteúdos em diversos formatos para mim e marcas que acredito.

Ler conteúdo completo
Indicados para você