[ editar artigo]

As cidades com o metro quadrado mais caro do Brasil

As cidades com o metro quadrado mais caro do Brasil

Duas dessas cidades estão no sul do país e ao lado do mar, Balneário Camboriú e Florianópolis, segundo uma pesquisa da Fipezap, que mostrou que o metro quadrado nestas cidades de Santa Catarina estão entre os mais caros do país, atrás apenas do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

O índice FipeZap de Preços de Imóveis Anunciados é bem completo e desenvolvido em parceria pela Fipe e pelo Grupo ZAP, acompanhando o preço médio de apartamentos prontos em 50 cidades brasileiras com base em anúncios da Internet. A metodologia está disponível em http://www.fipe.org.br

O índice registrou alta de +0,53% em setembro, após avançar 0,37% em agosto, a maior alta mensal desde setembro de 2014, superando o IPCA/IBGE para o mês de setembro (+0,43%).

Leia também "Investir em imóveis tem destaque frente a diversidade de investimentos"

"À exceção de Porto Alegre, onde o preço médio permaneceu praticamente estável (-0,05%), todas as capitais brasileiras monitoradas pelo Índice FipeZap apresentaram elevação no período, destacando-se: Brasília (+1,97%), Curitiba (+1,39%), Recife (+1,20%), João Pessoa (+0,78%), Belo Horizonte (+0,70%), Salvador (+0,70%). Em São Paulo, município com maior peso na composição do Índice FipeZap, a variação nominal registrada em setembro foi de +0,37%" - segundo dados da pesquisa.

O preço médio calculado foi de R$ 7.394/m² entre as 50 cidades monitoradas pelo Índice FipeZap. O mais alto é da cidade do Rio de Janeiro R$ 9.347/m², seguido por São Paulo R$ 9.242/m², Brasília R$ 7.889/m², Balneário Camboriú R$ 7.491/m² e Florianópolis R$ 7.285/m². Curitiba, a maior cidade do sul do Brasil, apresenta o preço médio calculado de R$ 6.324/m², destacando-se os bairros com maior e menor índices abaixo:

Diante dos movimentos que estão acontecendo quanto ao viver bem, o índice deve continuar em evolução, já que muitas pessoas começaram a buscar novas formas de viver, destacando ainda mais valor às suas casas.

Leia também "As pequenas cidades onde se concentram as pessoas mais ricas no Brasil"

Moradias adaptadas à nova realidade de comportamento do consumidor

Estes movimentos estão levando pessoas a cidades menores, em busca de mais qualidade de vida e contato com a natureza, e também a valorizar bairros mais distantes do centro financeiro das cidades, já que o trabalho remoto já é realidade-futura, pós-pandemia.

Para o mercado imobiliário, o número de lançamentos nem começou a acontecer, ao contrário, o número de lançamentos de imóveis caiu 60% no 2º trimestre segundo aponta a Câmara Brasileira da Indústria e Construção, comparada ao mesmo período de 2019.

Na região Sul o recuo de lançamentos foi de 36,5%, com aumento nas vendas de produtos já lançados de 5%.

Com a demanda alta por empreendimentos, os números da indústria da construção civil tendem a aumentar consideravelmente, entregando moradias adaptadas à nova realidade de comportamento do consumidor.

Para continuar acompanhando, reveja as séries gravadas no meu Youtube sobre os conceitos do Pós-Luxo e também do Novo Morar, com as construtoras Mendes Empreendimentos de Balneário Camboriú e A.Yoshii Engenharia de Curitiba, respectivamente:

 

Imagem destaque do artigo reprodução

Movimento TOPVIEW
Adriano Tadeu Barbosa
Adriano Tadeu Barbosa Seguir

Sou um profissional do pensamento e da prática, um comunicador que busca movimentos do Mercado de Luxo para diferenciar pessoas no Marketing Pessoal, desde 2006, com aprovações nacionais e internacionais e conteúdos em diversos formatos.

Ler conteúdo completo
Indicados para você